LU AN GUA PIAN é um dos chás verdes chineses mais incomuns. Não contém rebentos ou hastes, mas não se deixe enganar, pois é um chá de primeiríssima qualidade!
LU AN é o nome da região da Província chinesa de Anhui de onde é originário e GUA PIAN é habitualmente traduzido por “semente de melão”. O nome original é Gua Zi Pian (semente de girassol), em homenagem à forma das folhas. Ao longo do tempo o nome foi encurtado, o que levou a uma falha de tradução.


COMO É PROCESSADO?
Os chás verdes chineses privilegiam normalmente os rebentos tenros das folhas, mas o Lu An Gua Pian é feito apenas com a primeira folha inteira que se segue ao rebento. A folha é colhida da planta sem a sua haste. Este método de recolha requer muito mais trabalho manual.
As folhas são depois emurchecidas e aquecidas em ‘woks’ para travar a sua oxidação. Segue-se um novo aquecimento no qual as folhas são mexidas com uma vassoura de palha e é este passo do processamento que as enrola na sua característica forma alongada. Por fim, as folhas são cuidadosamente secas sobre fogo de carvão para remover qualquer humidade residual.


QUAL A SUA ORIGEM?
Este chá cresce nas montanhas que circundam a cidade de Lu’An na Província de Anhui. A combinação entre o clima ameno, chuva abundante, e um solo rico em nutrientes são ideais para o seu cultivo.
A história deste chá é alvo de debate: algumas fontes referem que já era mencionado no “Classic of Tea” de Lu Yu; outras que era um chá de tributo durante as Dinastias Ming e Qing ; outras ainda que foi criado apenas no início do século XX por um mercador. A verdade é que os métodos de processamento do chá evoluíram e transformaram-se tanto ao longo dos tempos que é praticamente impossível datar com rigor a data de criação de muitas variedades.


A QUE SABE?
A infusão do Lu An Gua Pian cria um licor luminoso dourado de nuances esverdeadas e tem uma forma muito particular de captar a luz em volta. Tem um sabor rico e texturado, como um caldo, de claras notas vegetais, mas não excessivas. Há nele uma qualidade salgada e umami a fazer lembrar alguns chás verdes japoneses . E uma subtil nota defumada devida ao fogo de carvão onde secou. Sem qualquer adstringência.


COMO PREPARAR?
No método ocidental, usar 3g de chá para cada 250 ml de água. Infuse à temperatura de 85 C durante 3minutos.
Em ‘gaiwan’, faça da observação o seu melhor guia. Quando as folhas começarem a abrir e a ficar macias, coe o licor para um pequeno jarro e sirva. Deixe água suficiente na gaiwan para cobrir as folhas: isso ajuda a manter um sabor forte e consistente para as infusões subsequentes.


Este chá também resulta lindamente em ‘cold brew’.


ONDE COMPRAR?
Na nossa loja online. Link na bio.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário